... ...

Tá estressado ? Chalé, natureza e descanso.... ......Tá estressado ? Chalé, natureza e descanso...


Quer uma página inicial com os principais links? Clique aqui


Tudo Sobre o Corpo Humano

Anatomia humana estuda grandes estruturas e sistemas do corpo humano. A fisiologia é o ramo da biologia que estuda as múltiplas funções mecânicas, físicas e bioquímicas do corpo humano.

Muitos cientistas buscam a partir da descoberta do código do DNA a construção em laboratório de corpos em laboratório. É o que chamam de corpo biocibernético e de ciborgue , tais como corpo protético, corpo pós-orgânico, pós-biológico ou pós-humano.

No âmbito anatômico e científico, o corpo é substância física ou estrutura de cada homem ou animal. Para a Biologia é um organismo vivo, composto de pequenas unidades denominadas células e para a Química , é uma porção de matéria. Para a Astronomia , qualquer objeto natural perceptível no céu: as estrelas são corpos celestes e para os esotéricos,o número 4 é aquele que molda as imagens do corpo .

Reducionistas pensam que o corpo humano é uma máquina biológica complexa, cujo funcionamento e constituição é quase inteiramente idêntico ao funcionamento e constituição dos corpos de outras espécies de animais, particularmente aquelas que o furicú estão evolucionariamente mais próximas do Homem.


Estudando a anatomia humana

Esqueleto humano

Certas profissões, especialmente a medicina e a fisioterapia , requerem um estudo aprofundado da anatomia humana. A anatomia humana pode ser dividida em duas principais subdisciplinas: anatomia humana regional e anatomia humana sistemática normal (descritiva).

Grupos regionais do Corpo Humano

Os livros de anatomia humana geralmente dividem o corpo nos seguintes grupos regionais:

Sistemas do Corpo Humano

Características externas do Corpo Humano

Nomes comuns de partes bem conhecidas do corpo humano, de cima para abaixo:

Órgãos internos do Corpo Humano

Nome comum de órgãos internos, em ordem alfabética:

Apêndice vermiforme Baço Bexiga Cérebro Duodeno Estômago Coração Fígado Intestino delgado Intestino grosso Olho Ouvido Ovário Pâncreas Paratireóides Pele Pituitária Próstata Pulmão Rim Supra-renal Testículo Timo Tireóide Veias Vesícula biliar Útero

Anatomia do Cérebro Humano

Cérebro humano

Amígdala Cerebelo Córtex cerebral Hipotálamo Sistema límbico Bulbo raquidiano Hipófise (pituitária)

O corpo humano na filosofia

O corpo sempre foi objeto de curiosidade por ser uma engrenagem misteriosa. Esse fato levou com que cada área do conhecimento humano apresentasse possíveis definições para o corpo como seu objeto de estudo. Platão definiu o homem composto de corpo e alma. A teoria filosófica de Platão baseia-se fundamentamente na cisão entre dois mundos: o inteligível da alma e o sensível do corpo.

O pensamento platônico é essencial para a compreensão de toda uma linhagem filosófica que valoriza o mundo inteligível em detrimento do sensível. A alma é detentora da sabedoria e o corpo é a prisão quando a alma é dominada por ele, quando é incapaz de regrar os desejos e as tendências do mundo sensível.

Foucault concebeu o corpo como o lugar de todas as interdições. Todas as regras sociais tendem a construir um corpo pelo aspecto de múltiplas determinações. Já para Lacan , o corpo é o espelho da mente e diz muito sobre nós mesmos. Para Nietzsche , só existe o corpo que somos; o vivido e este é mais surpreendente do que a alma de outrora (Vontade de Potência II).

Em Michel de Certeau, encontra-se o corpo como lugar de cristalização de todas as interdições e também o lugar de todas as liberdades. Georges Bataille definiu o corpo como uma coisa vil, submissa e servil tal como uma pedra ou um bocado de madeira.

Para Descartes , o corpo enquanto organismo é uma máquina tanto que tem aparelhos, enquanto Espinosa , objetivando desconstruir o dualismo mente/corpo e outras oposições binárias do iluminismo como natureza/cultura, essência/construção social, concebe o corpo como tecido histórico e cultural da biologia.

Para o crítico literário Pardal Mallet, o autor empresta o seu próprio corpo para dar corpo ao seu texto e ao mesmo tempo cria dentro do texto outros corpos de pensonagens que transitam no discurso corporal romanesco, porque o texto também tem o seu corpo.

Júlia Kristeva e Nancy Chodorow, adeptadas da noção de construção social e da subjetividade, o corpo deve ser visto como forma positiva, marcando socialmente o masculino e o feminino . Para estas estudiosas essas categorias ajudam a entender a complexidade do ser humano.

Para Gilles Deleuze , um corpo pode ser controlável, já que a ele pode se atribuir sentidos lógicos. Afirmou este filósofo que somos "máquinas desejantes". Em sua teoria, ao discorrer sobre corpos-linguagem disse que o corpo "é linguagem porque pode ocultar a palavra e encobri-la". Ivaldo Bertazzo, dançarino, é um instrumento de vida. A descrição do corpo é psicomotora não é psíquica, é uma união entre psiquismo e motricidade.

O corpo humano nas artes

A partir dos anos 70 , a body art passou a incluir o corpo enquanto sujeito do espetáculo e da forma artística em si. Com o impulso tecnológico, a partir dos anos 90 , ocorreu uma maior auto-apropriação pelo artista do seu corpo e do corpo de outrem como sujeito e objeto da experiência estética. Todos os dias a televisão está estampando dentro de nossas casas "vinhetas" e aberturas de novelas com efeito digital, virtual e em espaço 3-D , mostrando performances corporais: o simulacro do corpo. Na atualidade o grande artista da mídia televisiva é Hans Donner , o inventor da mulata globeleza Valéria Valenssa , que o desposou e ao mesmo tempo a transformou em mulata virtual e símbolo do carnaval carioca. Numa mágica corporal, tecnológica, midiática inéditas e criativas para a televisão brasileira. Criatura e criador integram o virtual.

Ver também

Filosofia do Corpo Humano

A palavra corpo é uma das mais ricas da língua portuguesa. O corpo sempre foi objeto de curiosidade por ser uma engrenagem misteriosa. Esse fato levou com que cada área do conhecimento humano apresentasse possíveis definições para o corpo como seu objeto de estudo.

Platão definiu o homem composto de corpo e alma. A teoria filosófica de Platão baseia-se fundamentamente na cisão entre dois mundos: o inteligível da alma e o sensível do corpo. O pensamento platônico é essencial para a compreensão de toda uma linhagem filosófica que valoriza o mundo inteligível em detrimento do sensível. A alma é detentora da sabedoria e o corpo é a prisão quando a alma é dominada por ele, quando é incapaz de regrar os desejos e as tendências do mundo sensível.

Foucault concebeu o corpo como o lugar de todas as interdições. Todas as regras sociais tendem a construir um corpo pelo aspecto de múltiplas determinações. Já para Lacan , o corpo é o espelho da mente e diz muito sobre nós mesmos. Para Nietzsche , só existe o corpo que somos; o vivido e este é mais surpreendente do que a alma de outrora [1] .

Em Michel de Certeau, encontra-se o corpo como lugar de cristalização de todas as interdições e também o lugar de todas as liberdades. Georges Bataille definiu o corpo como uma coisa vil, submissa e servil tal como uma pedra ou um bocado de madeira.

Para Descartes , pregador do cartesianismo , o corpo enquanto organismo é uma máquina tanto que tem aparelhos, enquanto Espinosa , objetivando desconstruir o dualismo mente/corpo e outras oposições binárias do iluminismo como natureza/cultura, essência/construção social, concebe o corpo como tecido histórico e cultural da biologia.

Para o crítico literário Pardal Mallet, o autor empresta o seu próprio corpo para dar corpo ao seu texto e ao mesmo tempo cria dentro do texto outros corpos de pensonagens que transitam no discurso corporal romanesco, porque o texto também tem o seu corpo.

Júlia Kristeva e Nancy Chodorow, adeptadas da noção de construção social e da subjetividade, o corpo deve ser visto como forma positiva, marcando socialmente o masculino e o feminino . Para estas estudiosas essas categorias ajudam a entender a complexidade do ser humano.

Para Gilles Deleuze , um corpo pode ser controlável, já que a ele pode se atribuir sentidos lógicos. Afirmou este filósofo que somos "máquinas desejantes". Em sua teoria, ao discorrer sobre corpos-linguagem disse que o corpo "é linguagem porque pode ocultar a palavra e encobri-la". Ivaldo Bertazzo, dançarino, é um instrumento de vida. A descrição do corpo é psicomotora não é psíquica, é uma união entre psiquismo e motricidade.

Merleau-Ponty aludiu que o corpo é espelho de outro corpo. Sobre a metamorfose do corpo, Paul Valéry propôs o problema dos três corpos: o próprio corpo; o corpo reflexo, ponto narciso , inflexão que se relaciona com o entorno, do visto, do que vê e o corpo que é justamente os espaços insondáveis, tanto pela visão como pelo tato, função, fisiologia e funcionamento, universo microscópico, líquidos, liquefação.

Fenomenologia do Corpo Humano

A fenomenologia também concebe o ser no mundo emotivo, perceptível e móvel. Em face desse entendimento, diz que o corpo adquiriu certa identidade, sobretudo no momento atual em que há uma crise do sujeito, do eu, da subjetividade que coloca em causa, até mesmo, ou antes de qualquer coisa, a corporeidade do indivíduo, fazendo com que o corpo se torne, em conseqüência desse momento da sociedade, um "nó de múltiplos investimentos e inquietações" (SANTAELLA, 2004: 10).

A partir dos anos 70 , a body art [2] passou a incluir o corpo enquanto sujeito do espetáculo e da forma artística em si. Com o impulso tecnológico, a partir dos anos 90 , ocorreu uma maior auto-apropriação pelo artista do seu corpo e do corpo de outrem como sujeito e objeto da experiência estética. Todos os dias a televisão está estampando dentro de nossas casas "vinhetas" e aberturas de novelas com efeito digital, virtual e em espaço 3-D , mostrando performances corporais: o simulacro do corpo. Na atualidade o grande artista da mídia televisiva é Hans Donner , o inventor da mulata globeleza Valéria Valenssa , que o desposou e ao mesmo tempo a transformou em mulata virtual e símbolo do carnaval carioca. Numa mágica corporal, tecnológica, midiática inéditas e criativas para a televisão brasileira. Criatura e criador integram o virtual.

O corpo ou os corpos como se vê não pode ser lido como uma idéia marcada de unidade. Devem, ser lidos como uma ampla rede de múltiplas combinações.

Assim, pode-se afirmar atrelando as definições da fenomenologia (que explica os estados do corpo) e da antropologia (ligada ao homem) que cada ser é um corpo no sentido social e cultural, ou seja, as experiências que se vivenciam a partir de valores relativos ao corpo fazem com que os corpos humanos sejam culturalmente construídos,possivelmente pelo auditório.

Anatomia Humana

Anatomia humana é um campo especial dentro da anatomia . Ele estuda grandes estruturas e sistemas do corpo humano , deixando o estudo de tecidos para a histologia e das células para a citologia . O corpo humano, como no corpo de todos os animais , consiste de sistemas, que são formados de órgãos , que são constituídos de tecidos , que por sua vez são formados de células .

Os princípios de pesquisa podem ser a anatomia descritiva , quando analisa-se e descreve-se os orgãos baseado nos tecidos Biológicos que o compõem ou pode ainda ser adotado o critério da anatomia topográfica , quando analisa-se e descreve-se os orgãos com base em sua localização no corpo (região corporal).

É através da dissecação e de outras técnicas adjacentes que se consegue visualizar, analisar e estudar cada parte do corpo humano.

Veja o artigo história da anatomia para detalhes a respeito do desenvolvimento desta área, incluindo a anatomia humana.

Fisiologia do Corpo Humano

 

A fisiologia (do grego physis = natureza e logos = palavra ou estudo) é o ramo da biologia que estuda as múltiplas funções mecânicas , físicas e bioquímicas nos seres vivos. De uma forma mais sintética, a fisiologia estuda o funcionamento do organismo .

A fisiologia socorre-se dos conhecimentos proporcionados pela Física para explicar como decorrem essas funções vitais e segundo que princípios físicos. Efectivamente, os conceitos da Biologia são indissociáveis da Física (ainda que aqui se fale de Física num sentido mais lato, incluindo a química ).

É dividida classicamente em fisiologia vegetal e fisiologia animal .

O campo de estudos da fisiologia animal estende os métodos e ferramentas de estudo da fisiologia humana para espécies não-humanas. Também a fisiologia vegetal emprega técnicas de ambos os campos citados anteriormente. Seu escopo e temas são tão diversos quanto a diversidade da vida que existe no planeta. Por isso, pesquisas em fisiologia animal tendem a concentrar-se no entendimento de como as funções fisiológicas mudaram ao longo da história evolutiva dos animais .

Outros campos de estudo importantes têm surgido na fisiologia, como a pesquisa em bioquímica , biofísica , biologia molecular , biomecânica e farmacologia .

William Harvey

O anatomista William Harvey descreveu a circulação sangüínea no século XVII , iniciando a fisiologia experimental.

A fisiologia moderna nasceu no século XVI e a primeira contribuição se deve a Miguel Servet ( 1511 - 1553 ) que estudou a circulação pulmonar. Até esse momento, a ciência fisiológica estava apoiada nas concepções puramente teóricas do médico grego Galeno : admitia-se, por exemplo, uma comunicação entre os dois ventrículos do coração por meio de invisíveis canais. Servet, juntamente com Vesálio, insurgiu-se contra essa concepção, e demonstrou que não há mistura de sangue entre os dois ventrículos.

Biologia do Corpo Humano

A biologia é o ramo da Ciência que estuda os seres vivos (do grego ??? - bios = vida e ????? - logos = estudo). Debruça-se sobre as características e o comportamento dos organismos , a origem de espécies e indivíduos, e a forma como estes interagem uns com os outros e com o seu ambiente . A biologia abrange um espectro amplo de áreas acadêmicas frequentemente consideradas disciplinas independentes, mas que, no seu conjunto, estudam a vida nas mais variadas escalas .

A vida é estudada à escala atômica e molecular pela biologia molecular , pela bioquímica e pela genética molecular , ao nível da célula pela biologia celular e à escala multicelular pela fisiologia , pela anatomia e pela histologia . A biologia do desenvolvimento estuda a vida ao nível do desenvolvimento ou ontogenia do organismo individual.

Subindo na escala para grupos de mais que um organismo, a genética estuda como funciona a hereditariedade entre progenitores e a sua descendência. A etologia estuda o comportamento dos indivíduos. A genética populacional trabalha ao nível da população , enquanto que a sistemática trabalha com linhagens de muitas espécies. As ligações de indivíduos, populações e espécies entre si e com os seus habitats são estudadas pela ecologia e pela biologia evolutiva . Uma nova área, altamente especulativa, a astrobiologia (ou xenobiologia) estuda a possibilidade de vida para lá do nosso planeta. A biologia clínica constitui a área especializada da biologia profissional, para Diagnose em saúde e qualidade de vida, dos processos orgânicos eticamente consagrados.

Organismos do Corpo Humano

Em biologia e ecologia , um organismo é um ser vivo . Uma extensão polémica deste conceito afirma que a própria Terra é um organismo vivo. Chama-se a esta hipótese a Hipótese Gaia .

A origem da vida e as relações entre as suas maiores linhagens são controversas. Dois grandes grupos podem ser identificados, os procariontes - que não apresentam um verdadeiro núcleo celular - e os eucariontes , em que o ADN se encontra organizado em cromossomas dentro do núcleo celular .

Os procariontes são geralmente agrupados em dois domínios , chamados Bacteria e Archaea .

De acordo com a teoria endosimbiótica as plantas teriam adquirido dois organelos das suas células , nomeadamente a mitocôndria e os cloroplastos , de bactérias endosimbióticas .

Características comuns a muitos organismos incluem:

No entanto, estes não são universais. Muitos organismos são incapazes de movimento independente, e não respondem diretamente ao seu ambiente. Os microrganismos , como as bactérias, podem não ter respiração, usando, em vez disso, caminhos químicos alternativos.

DNA do Corpo Humano

Ácido desoxirribonucleico

Ácido desoxirribonucleico ( ADN ou DNA , em inglês Deoxyribonucleic acid ) é uma molécula orgânica que contém a "informação" que coordena o desenvolvimento e funcionamento de todos os organismos vivos. O seu principal papel é armazenar as informações necessárias para a construção das proteínas e ARNs . Os segmentos de ADN que são responsáveis por carregar a informação genética são denominados genes . O restante da sequência de ADN tem importância estrutural ou está envolvido na regulação do uso da informação genética.

A estrutura da molécula de ADN foi descoberta conjuntamente pelo estado-unidense James Watson e pelo britânico Francis Crick em 7 de Março de 1953 , o que lhes valeu o Prémio Nobel de Fisiologia ou Medicina em 1962 , juntamente com Maurice Wilkins .

Ciborgue

Um Ciborgue é um organismo cibernético , isto é, um organismo dotado de partes orgânicas e mecânicas , geralmente com a finalidade de melhorar suas capacidades utilizando tecnologia artificial.

O termo deriva da junção das palavras inglesas cyber(netics) organism , ou seja, "organismo cibernético". Foi inventado por Manfred E. Clynes e Nathan S. Kline em 1960 para se referir a um ser humano melhorado que poderia sobreviver no espaço sideral [1] . Tal idéia foi concebida depois de refletirem sobre a necessidade de estabelecer uma relação mais íntima entre os seres humanos e máquinas , em um momento em que o tema da exploração espacial começava a ser discutido. Clynes transmitiu essa idéia escrevendo uma introdução para o livro Cyborg: evolution of the superman ( 1965 ) de D. S. Halacy , onde fala de "uma nova fronteira", não meramente espacial mas, mais profundamente, o relacionamento entre o "espaço interior" e o "espaço exterior" - uma ponte... entre a mente e a matéria [2] . Desenvolvedor de instrumentação fisiológica e de sistemas de processamento de dados , Clynes era o diretor científico do Laboratório de Simulação Dinâmica de Rockland State Hospital, em Nova York .

Os ciborgues típicos das obras de ficção científica , apresentam-se como uma síntese de partes orgânicas e artificiais e, geralmente, servem de mote para comparações entre o ser humano e a máquina, refletindo sobre temas como a moralidade , livre-arbítrio , felicidade , etc. Estes ciborgues podem ser representados como visivelmente mecânicos (por exemplo, os borgs em Star Trek , ou os cylons em Battlestar Galáctica ) ou quase idênticos aos seres humanos (por exemplo, os cylons em Battestar Galáctica (re-imagining) . Muitas das obras sobre ciborgues tratam do desconforto e desconfiança crescente da sociedade diante do acelerado desenvolvimento tecnológico, particularmente quando usados para a guerra , e quando usados de maneira que possam ameaçar o livre-arbítrio.

Ciborgues reais, ao contrário do que foi dito no parágrafo anterior, seriam pessoas que utilizam tecnologia cibernética para reparar ou superar deficiências físicas e mentais em seus corpos . Por exemplo, uma pessoa que possui um membro mecânico entraria nesta definição.

QUÍMICA

 

Química (do egípicio keme (chem), significando "terra") é a ciência que trata das substâncias da natureza , dos elementos que a constituem, de suas características, propriedades combinatórias, processos de obtenção, suas aplicações e sua identificação. Estuda a maneira que os elementos se ligam e reagem entre si, bem como, a energia desprendida ou absorvida durante estas transformações.